Pesquisar
Close this search box.

Superando Desafios: o papel crucial dos enfermeiros dermatológicos no cuidado de feridas crônicas

Fala galera… tudo bem com vocês? Diante dos desafios que citamos anteriormente, como podemos agir? Qual nosso papel no cuidado ao portador de feridas crônicas? Buscamos responder essas questões complexas de forma simples e dinâmicas, assim nos orientando quanto nossa essencial atuação.

Sabemos que milhares de pessoas ao redor do mundo sofrem com feridas crônicas (1), enfrentando não apenas dor física, mas também desafios emocionais e sociais. E, um dos grandes responsáveis pelo cuidado ao paciente portador de ferida são os enfermeiros dermatológicos. Como especialistas treinados podemos e devemos oferecer mais do que cuidados com feridas; devemos também fornecer esperança e suporte em um caminho frequentemente longo e desafiador

Diante dos principais desafios que enfrentamos, vejamos quais são as ações dos especialistas:

Contra a Infecção:

“Avaliação e uso de curativos antimicrobianos mantêm as infecções sob controle, protegendo a ferida de complicações.”

Aliviando a Dor:

“Estratégias individualizadas de manejo da dor garantem conforto, permitindo que o paciente se concentre mais na recuperação do que no desconforto.”

Gerenciando a Exsudação:

“Curativos especiais absorvem excesso de líquido, mantendo a área da ferida em condições ideais para a cicatrização.”

Neutralizando Odores:

“Técnicas de limpeza e curativos com carvão ativado ajudam a manter o bem-estar do paciente e a dignidade ao reduzir odores desagradáveis.”

Estimulando a Regeneração:

“Promovendo a formação de tecido de granulação, essencial para preencher e curar a ferida de dentro para fora.”

Diminuindo o Edema:

“Técnicas de compressão e elevação são usadas para reduzir o inchaço e promover a circulação saudável.”

Educação e Apoio:

“Educar pacientes e cuidadores sobre o cuidado adequado da ferida, permitindo-lhes tomar um papel ativo na recuperação.”

Apoio Emocional:

“Ouvindo e fornecendo suporte emocional, eles ajudam a combater a depressão e a ansiedade que muitas vezes acompanham as feridas crônicas.”

A jornada de uma ferida crônica é longa e cheia de desafios, no entanto com cuidado especializado, utilizando-se de tecnologias inovadoras e uma prática baseada em evidências, as chances de sucesso no tratamento são potencialmente aumentadas e para nós, enfermeiros dermatológicos, o sucesso nem sempre é a cicatrização total da ferida, mas dar qualidade de vida ao portador da ferida, bem como suporte no seu processo de saúde-doença, ajudando-os a superar os desafios e avançar em direção ao bem-estar.

Bibliografia:

  1. Silva, M. T., Kremer, T. S., Costa, S. P. D., Ruiz, L. D. S., Gandra, R. F., & Auler, M. E. (2023). Os desafios na conduta terapêutica em pacientes acometidos com feridas crônicas. Arq. ciências saúde UNIPAR, 1242-1268.
Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chamar no Whatsapp
1
Escanear o código
Olá 👋
Como podemos ajudá-lo?