Pesquisar
Close this search box.

Intervenções de enfermagem para prevenir deiscência em ferida operatória

Olá galera, tudo bem com você?

Vamos falar um pouco sobre uma das intercorrências mais recorrentes no pós operatório que e a deiscência de ferida operatória e as intervenções de enfermagem para preveni-la.

A deiscência de ferida operatória é uma complicação ocasionada por fatores sistêmicos ou locais por infecção, ruptura da sutura, seroma, isquemia, tensão na ferida e se agravam com a idade, condições nutricionais inadequadas, doenças concomitantes como diabetes, cardiovasculares, pulmonares, entre outros. A cicatrização após uma deiscência é mais lenta, podendo o paciente necessitar de uma nova intervenção cirúrgica.

Existem três formas pelas quais uma ferida operatória pode cicatrizar, que dependem da quantidade de tecido lesado ou danificado e da presença ou não de infecção, que ocorre por primeira, segunda ou terceira intenção:

Primeira intenção: é o tipo de cicatrização que ocorre quando as bordas são apostas ou aproximadas, havendo perda mínima de tecido, ausência de infecção e mínimo edema. A formação de tecido de granulação não é visível. Exemplo: ferimento suturado cirurgicamente.

Segunda intenção: neste tipo de cicatrização ocorre perda excessiva de tecido com a presença ou não
de infecção. A aproximação primária das bordas não é possível. As feridas são deixadas abertas e se fecharão por meio de contração e epitelização.

Terceira intenção: designa a aproximação das margens da ferida (pele e subcutâneo) após o tratamento aberto inicial. Isto ocorre principalmente quando há presença de infecção na ferida, que deve ser tratada primeiramente, para então ser suturada posteriormente.

Podem ser observados sinais e sintomas evidentes na deiscência da ferida operatória :

  • Edema no local
  • Dor intensa
  • Saída de secreção pela lesão ou sangramento
  • Sensação de calor na região da ferida
  • Febre

Intervenções de enfermagem :

  • Monitorar o processo de cicatrização no local ;
  • Realizar limpeza adequada;
  • Monitorar sinais e sintomas de infecção;
  • Aplicar curativo apropriado para proteger o local ;
  • Orientar o paciente sobre as formas de cuidar do local, durante o banho de chuveiro;
  • Ensinar ao paciente como minimizar o estresse sobre o local para facilitar a cicatrização;
  • Ensinar ao paciente e/ou à família como cuidar, inclusive quanto a sinais e sintomas de infecção

A partir de uma boa avaliação do profissional ira adotar uma conduta terapêutica para o tratamento da deiscência de ferida operatória. As condutas utilizadas nesse caso são uso de antibióticos para eliminar uma possível infecção da ferida, manter o local limpo e protegido, realizar um curativo adequado é
aquele que tem por finalidade controlar o exsudato, auxiliar no processo de cicatrização e atuar como barreira protetora contra microrganismos, e assim, proporcionar conforto ao paciente e rápida recuperação (SILVA; CROSSETTI, 2012).

Uma das formar de prevenir a deiscência e trabalhando com a educação em saúde , orientando sobre os sinais e sintomas de infecção, como minimizar a tensão do local operado ao tossir e se movimentar e os cuidados com a ferida operatória.

Bibliografia :

  1. LIMA, Jaqueline . CONDUTA TERAPÊUTICA NA DEISCÊNCIA DE FERIDA OPERATÓRIA: REVISÃO INTEGRATIVA. [s. l.], 2019. Disponível em: https://bdm.unb.br/bitstream/10483/24774/1/2019_JaquelineDeSouzaLima_tcc.pdf
  2. GOMES, Eduardo; POVEDA, Vanessa; PUSCHEL, Vilanice . AÇÕES DE ENFERMAGEM PODEM PREVENIR DEISCÊNCIA EM FERIDA OPERATÓRIA. [s. l.], 2020. Disponível em: https://revista.sobecc.org.br/sobecc/article/view/553

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chamar no Whatsapp
1
Escanear o código
Olá 👋
Como podemos ajudá-lo?