Pesquisar
Close this search box.

Fatores de risco para infecção do sitio cirúrgico: Intervenções de enfermagem para reduzi-las

Olá queridos, tudo bem com vocês? 

Hoje vamos falar um pouco sobre os fatores de risco para a infecção do Sitio Cirúrgico (ISC), é como a enfermagem exerce um papel fundamental para reduzi-las. 

As infecções do Sitio Cirúrgico (ISC) apresentam riscos à segurança do paciente, vale salientar que as Infecções estão relacionados à assistência à saúde. As ISC acometem pacientes submetidos a procedimentos cirúrgicos, atingindo o tecido subcutâneo, moles, profundos (fáscia e músculo), órgão e cavidades com incisão, sendo caracterizadas como aquelas que ocorrem até 30 dias de pós-operatório em cirurgia sem implante, ou dentro de 90 dias se um implante for colocado e a infecção estiver relacionada à cirurgia.

É fundamental que o enfermeiro compreenda os fatores de risco que predispõem a incidência de ISC no pós-operatório para promover ações e medidas que reduzam a ocorrência destas, colaborando na melhoria da qualidade da assistência. Diante disso o enfermeiro deve implementar o sistema de vigilância sobre o controle das infecções a fim minimizar os riscos.

Os fatores que predispõem a ISC constituem um conjunto de fatores de risco que podem ser intrínsecos ou extrínsecos:

  • Fatores intrínsecos: idade, hábitos de vida, patologias de base ou associadas;
  • Fatores extrínsecos:  se referem aos procedimentos assistenciais e técnicas cirúrgicas adotadas.

Grande parte dos fatores extrínsecos poderem ser evitados por meio de ações de cuidados, sendo estes de inteira responsabilidade da equipe assistencial que acompanha o paciente. É  necessário o envolvimento da equipe no cuidado ao paciente em condição cirúrgica, a fim de prestar uma assistência de qualidade durante todo o período pós operatório.

Como prevenir as ISC?

  • Banho Pré-operatório
  • Remoção adequada dos pelos;
  • Profilaxia antimicrobiana adequada;
  • Controle glicêmico;
  • Normotermia;
  • Cuidados com ambiente e estrutura;
  • Antissepsia das mãos da equipe cirúrgica;
  • Uso de luva estéril;
  • Preparo da pele do paciente (Degermação do sítio cirúrgico)
  • Uso de Curativo estéreis;
  • Checklist de cirurgia segura sendo a ferramenta mais poderosa para evitar erros e eventos adversos.

O enfermeiro deve, através da educação continuada, repassar conhecimento e informações técnicas à sua equipe e aos outros profissionais envolvidos nestas situações, contribuindo, significativamente, para minimizar a ocorrência das ISC e suas graves consequências (ERCOLE; CHIANCA, 2002).

Bibliografia

  1. SANTOS, Gabriela; BAYLÃO, Ana Flávia; BORGES, Samella ; SILVA, Luiz; BATISTA, Mikael; LEITE, Giulena; INCIDÊNCIA E FATORES DE RISCO DE INFECÇÃO DE SÍTIOCIRÚRGICO: REVISÃO INTEGRATIVA. [s. l.], 2015. Disponível em: https://revistas.ufj.edu.br/rir/article/view/34142
  2. Martins T; Amante LN; Vicente C; Sousa GM; Caurio EP; Guanilo MEE; Girondi JBR. Intervenções de enfermagem para reduzir infecção do sítio cirúrgico em cirurgias potencialmente contaminadas: revisão integrativa. ESTIMA, Braz. J. Enterostomal Ther.,[s. l.], 2020. Disponível em: https://doi.org/10.30886/estima.v18.848_PT

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chamar no Whatsapp
1
Escanear o código
Olá 👋
Como podemos ajudá-lo?